Coronavírus: Intercambista poderá remarcar viagem sem custo

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) fez muitas pessoas cancelarem suas viagens e intercâmbios, causado transtornos financeiros e emocionais.

Com a necessidade de cumprir a quarentena, aeroportos e escolas fechados, muitos brasileiros que estavam em intercâmbio voltaram ao país e outros tiveram que cancelar ou adiar o sonho.

Na semana passada, a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) assinou um Termo de Ajustamento de Conduta com empresas de intercâmbio estudantil para permitir que intercambistas remarquem gratuitamente as viagens previstas para os próximos meses. A estimativa da Senacon é que 10 mil intercambistas sejam beneficiados. Pelo acordo, eles terão dois anos para remarcar as viagens sem custo. Caso optem por desistir do intercâmbio, os estudantes terão direito ao reembolso em condições mais vantajosas que as previstas em contrato, de acordo com a secretaria.

De acordo com Bruno Jesus, sócio-fundador da The Six International Studies, o intercambista deve verificar as informações que estão no contrato e se atentar às práticas de cancelamentos e multas que as escolas utilizam. “Começamos a adiar as viagens de março, abril e maio e, as viagens que estão planejadas a partir de junho, vamos esperar chegar mais perto para ver a melhor a solução”.

No mês passado uma Medida Provisória determinou que as companhias aéreas terão até 12 meses para reembolsar os passageiros que não puderam viajar por conta do coronavírus. Uma campanha realizada pelas agências de viagem pedem que seus clientes adiem as viagens ao invés de cancelá-las como forma de evitar colapso no setor.

Crédito da Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Compartilhar publicação